Terça-feira, 29 de Julho de 2008

Canção do Amor Demais

É uma das grandes notícias do ano: a reedição do histórico “Canção do amor demais”, o histórico LP que juntou Elizete Cardoso, Tom Jobim, Vinicius de Moraes e João Gilberto. A ideia partiu da editora Biscoito Fino, responsável por um dos catálogos mais ricos de Música Popular Brasileira dos últimos anos. Aqui fica o press-release do cd e a esperança que o mesmo chegue também a Portugal:

 
“CANÇÃO DO AMOR DEMAIS”
 
Em 1958 era lançado um LP que seria considerado como o marco inicial da Bossa Nova. Canção do Amor Demais, com Elizete Cardoso, tornou-se um disco histórico na música popular brasileira por ter revelado pela primeira vez a batida do violão de João Gilberto. Com 13 canções de António Carlos Jobim e Vinicius de Moraes, Canção do Amor Demais (relançado em 1998) está saindo agora pela Biscoito Fino, comemorando os 50 anos da Bossa Nova.
 
Gravado pelo selo Festa, do jornalista Irineu Garcia, dois anos depois da estreia da peça Orfeu da Conceição, que marcou o início da parceria de Tom e Vinicius, Canção do Amor Demais é, segundo o poeta no texto do encarte, ‘‘a maior prova que podemos dar da sinceridade dessa amizade e dessa parceria. A partir dos sambas de Orfeu da Conceição, raras têm sido as vezes em que, de um encontro meu com o maestro, não resulta alguma composição nova, por isso que eu creio ser essa a verdadeira linguagem da nossa relação (...) E nunca houve entre nós quaisquer reservas no sentido de um tirar o outro de um impasse durante o trabalho. É possível mesmo que tudo isso se deva ao fato de que ele crê na poesia da música e eu creio na música da poesia’’.
 
É ainda Vinicius quem explica porque Elizete Cardoso foi convidada para cantar no LP: ‘‘É claro que, por ela interpretado, ele nos acrescenta ainda mais, pois fica sendo a obra conjunta de três grandes amigos; a gente que se quer bem para valer; gente que pode, em qualquer circunstância, contar um com o outro; gente, sobretudo, se danando para estrelismos e vaidades e glórias. Mas a diversidade dos sambas e canções exigia também uma voz particularmente afinada; de timbre popular brasileiro mas podendo respirar acima do puramente popular...E assim foi que a Divina impôs-se como a lua para uma noite de serenata’’. Gravado com uma roupagem orquestral altamente sofisticada, como explicou o jornalista Sérgio Augusto no Cancioneiro Jobim (2000), encorpada por instrumentos (trompa, oboé, harpa, fagote, clarone) raramente usados para acompanhar músicas populares, o por vezes camerístico Canção do Amor Demais contou com a participação muito especial - em duas faixas (Chega de Saudade e Outra Vez) - de um baiano chamado João Gilberto, cujo violão não tinha, sem hipérbole, similar, e de quem muito se ouviria falar nos meses, anos e décadas seguintes’’.
 
Além de João Gilberto, Tom Jobim escolheu também outros músicos de sua preferência, como o flautista Copinha, os trombonistas Gaúcho e Maciel, a violoncelista Nídia Soledade e o baterista Juca Stockler. No repertório, nove músicas de Tom e Vinicius (Chega de Saudade, Caminho de Pedra, Luciana, Janelas Abertas, Eu não Existo sem Você, Estrada Branca - só com Elizete e Tom ao piano -, Vida Bela, Modinha, Canção do Amor Demais); duas de Tom (As Praias Desertas e Outra Vez) e duas de Vinicius (Serenata do Adeus e Medo de Amar). À excepção de Outra Vez e Eu não Existo sem Você, todas eram inéditas em disco.
Anos depois, em Carta ao Tom 74, música composta com Toquinho, Vinicius de Moraes relembraria este momento marcante de sua vida: ‘‘Rua Nascimento Silva 107, você ensinando pra Elizete as canções de Canção do Amor Demais/Lembra que tempo feliz ai que saudade/Ipanema era só felicidade/era como se o amor morresse em paz’’.
publicado por rayoflight às 00:34
link do post | comentar | favorito
Domingo, 30 de Março de 2008

Clássico

Lançado originalmente em Março de 1964, “Getz/Gilberto”, o disco que juntou Stan Getz e João Gilberto a Tom Jobim e Astrud Gilberto depressa se tornou num enorme sucesso de crítica e de público, e uma referência incontornável na história da música popular. Este ano, em plenas comemorações dos 50 anos da Bossa-Nova, chega ao mercado nacional uma luxuosa reedição deste disco histórico pela prestigiada editora Verve, são ao todo 10 temas em que o jazz, a mpb e a bossa-nova nos trazem clássicos como “The girl from Ipanema”, “Pra machucar meu coração”, “Corcovado”, “Vivo sonhando” ou “O grande amor”, tudo interpretado com esmero, emoção e com uma sensibilidade que sobrevive ao tempo para chegar aos dias de hoje intocável. Do genial sax de Stan Getz ao violão mágico de João Gilberto, do sempre admirável piano de Tom Jobim a uma estreante mas surpreendente Astrud Gilberto, “Getz/ Gilberto” é um daqueles trabalhos que roçam a obra de arte e esta reedição é um must para qualquer amante de boa música. 10/10
publicado por rayoflight às 21:46
link do post | comentar | favorito
Sábado, 11 de Agosto de 2007

Meu samba...

Clara Moreno chega às lojas nacionais com o seu 5º disco: “Meu samba torto”. Longe da estética electrónica do anterior “Morena bossa nova” de 2004, “Meu samba torto” é um disco orgânico, quase acústico! Acompanhada por Celso Fonseca em 6 das 14 canções, Clara Moreno apresenta um trabalho coeso, recheado de óptimas composições (que aliam habilmente a simplicidade de um som acústico à envolvência da sonoridade “sambista”) e um trabalho de interpretação que fica já registado como o seu melhor até à data. Destaques deste CD ficam por conta de “Litorânea” delicioso dueto com Celso Fonseca, “Sabe quem”, a fantástica “Sei lá”, “Mon manege a moi” versão bossa-nova/samba do sucesso de Edith Piaf, a bonita leitura de “Copacabana”, “Meu samba torto” composição de Celso Fonseca naquele que é o melhor tema do disco, a piscadela ao jazz em “Vem morena vem”, a serena e emotiva “Ela vai pró mar” e uma surpresa de nome “Tenderly” em que a cantora é (apenas) acompanhada por uma guitarra eléctrica. Um disco muito interessante, com uma produção impecável e que coloca definitivamente na rota certa a promissora carreira de Clara Moreno, 7/10.
publicado por rayoflight às 00:06
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 8 de Agosto de 2007

The New Bossa Nova

Já aqui falamos dele, agora mostramos a capa e o reportório do novo disco de Luciana Souza “The new Bossa Nova”. Lançamento a 21 de Agosto!
 
1. Down to You (Joni Mitchell)
2. Never Die Young (James Taylor)
3. Here It Is (Leonard Cohen)
4. When We Dance (Sting)
5. Satellite (Elliott Smith)
6. Were You Blind that Day? (Steely Dan)
7. Love Is for Strangers (Larry Klein e Walter Becker)
8. You and the Girl (Luciana Souza e Larry Klein)
9. Living without You (Randy Newman)
10. I Cant Let Go Now (Michael McDonald)
11. God Only Knows (Brian Wilson)
12. Waters of March (Antonio Carlos Jobim)
publicado por rayoflight às 23:57
link do post | comentar | favorito

.pesquisar

 

.Junho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
15
16

19
21
24
25

28
29


.posts recentes

. Canção do Amor Demais

. Clássico

. Meu samba...

. The New Bossa Nova

.arquivos

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

.A visitar

blogs SAPO

.subscrever feeds