Segunda-feira, 18 de Junho de 2007

Ao Vivo

Foto por João Miguel Rodrigues

Eugénia Melo e Castro, “Des Cons Tru Ções 2007- 25 anos de Terra de Mel”, CCB 16 de Junho de 2007
 
Existem concertos que nos marcam por variadas razões, o que Eugénia Melo e Castro apresentou sábado passado no Grande Auditório do CCB vai com certeza marcar a memória afectiva a muitos dos que estiveram presentes nessa noite memorável. Eugénia já não actuava em Portugal desde 1994 e valeu a pena a espera, “Des Cons Tru Ções 2007- 25 anos de Terra de Mel” é um espectáculo no mínimo surpreendente! Apresentado como comemoração dos 25 anos de lançamento do primeiro LP da cantora (“Terra de Mel”) e que sabiamente também serviu para apresentar as músicas do novíssimo “PoPortugal”, Eugénia apresentou um concerto riquíssimo a nível de arranjos musicais, uma banda com uma musicalidade e um timming fantásticos, um reportório sem falhas e principalmente um saber estar em palco que fez com que tudo parecesse uma enorme celebração (que também o foi). Eugénia cantou, cantou muito e bem! Com uma afinação e segurança que não a impediram de brincar com a plateia e músicos e contar histórias, muitas histórias… histórias da sua infância e de alguns momentos divertidos da sua carreira que deliciaram a plateia. Mas o mais importante desta noite foi a Música, Música com M maiúsculo e que na voz em estado de graça da cantora e “transportada” por um excelente leque de músicos (Eduardo Queiróz, Emílio Mendonça, Christiano Rocha, Renato Consorte, João Guilherme Figueiredo, Vítor e Daniel Alcântara) ofereceu a todos os presentes uma viagem inigualável: desde as brilhantes recriações de “Terra de Mel” e “A dança da lua” (com um travo de “I can´t get no satisfaction”, sim, dos Rolling Stones) ao jazz de “Olhos nos olhos” e "O sopro do coração", das poderosas “Paz” e “Paris 88” à emoção à flor da pele em “Coração imprevisto", da sentida interpretação de “Maninha” ao fado-canção que se viu transformada “Basta um dia” (com xaile e tudo…), da surpresa da “Construção” à lindíssima “Eu sou”, da magia que uniu “A banda” à “Romaria” e aquela que foi a melhor interpretação da noite numa genial e comovente “Imagem”. Eugénia Melo e Castro não cantava há 12 anos em Portugal mas é como se o tempo não tivesse passado por ela ou pela sua Arte. Bravo, bravo, bravo…10/10.
publicado por rayoflight às 04:01
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar

 

.Junho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
15
16

19
21
24
25

28
29


.posts recentes

. Contos de fados

. Gato escaldado

. Água

. Viagem

. Agenda

. Maíra Freitas

. Agenda

. Brasil encena

. Ao vivo

. Agenda

.arquivos

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

.A visitar

blogs SAPO

.subscrever feeds